Terceira Revolução Industrial

Vamos entender um pouco sobre as revoluções industriais.

Toda revolução é uma quebra de paradigma, uma mudança profunda e completa. A Primeira Revolução Industrial consistiu em uma transformação técnica, por esse motivo, ela também é conhecida como Revolução Técnica. Já a Segunda Revolução Industrial foi pautada no conhecimento científico aplicado ao melhoramento da técnica, assim, chamamos o período de Revolução Técnico-Científica.

Desse modo, a Terceira Revolução Industrial também vai representar uma grande transformação. A Terceira Revolução Industrial é uma revolução tecnológica, das comunicações, da informação, por isso, conhecida como Revolução Técnico-Científico-Informacional.

O local de surgimento dessas ideias inovadoras é o Vale do Silício, pois é neste espaço em que encontramos o principal tecnopolo do globo. Mas, calma! O que é um tecnopolo? Tecnopolo é um centro tecnológico que concentra pesquisa e desenvolvimento, ou seja, em um mesmo lugar temos a produção do conhecimento, na maioria das vezes em laboratórios universitários, e onde o aplicamos, nas indústrias tecnológicas.

É no Vale do Silício onde estão localizados grandes centros universitários como Stanford, Berkeley, entre outros, e assim, sendo atrativo para as indústrias tecnológicas estarem situadas perto dessas faculdades, como o Yahoo, Google, HP, Microsoft, também, dentre inúmeras outras.

A tecnologia informacional revoluciona a forma como lidamos com as informações. Hoje em dia é muito banal em nosso cotidiano o acesso à informação, entretanto, quando ela começou a se desenvolver foi um grande choque. Estar conectado 24/dia, várias informações, notícias circulando ao mesmo tempo é fruto da Terceira R.I. Saber dos acontecimentos simultaneamente eles ocorrem é algo recente. A informação se torna tão dinâmica, que enquanto eu escrevo esse texto pra você, a notícia de hoje já será ultrapassada quando vocês lerem. Olha que louco!

Além disso, imaginem só salas e salas cheias de arquivos sobre informações e dados de empresas, como na foto abaixo, por exemplo.


Agora, a gente tem a capacidade de aglomerar muita informação em pouco espaço, como em um pen drive, computador, celular…

A Terceira Revolução Industrial está inserida no contexto de globalização, que é a atual fase de expansão do capitalismo. Desse modo, temos as infovias como o principal transporte e facilitador da Terceira R.I. pois são elas que transportam as informações, o principal objeto da atual revolução.

Além da mudança técnica, a Terceira Revolução Industrial traz consigo inovações tecnológicas, como a energia nuclear (embora o petróleo ainda seja majoritariamente utilizado), a robótica e automação, permitindo que o trabalho seja realizado por máquinas. Junto dessas inovações, a biotecnologia também foi uma novidade, principalmente, representada pelos transgênicos.

Logo, percebemos que a Terceira Revolução Industrial é responsável pelas dinamizações dos fluxos de informações e mercadorias. Essa dinamização provoca o  aumento dos fluxos, assim, o transporte hoje é adequado a essas necessidades, sendo realizado por trens balas, mega navios, aviões a jato e mega aviões.

Toyotismo

Inserido na Terceira Revolução Industrial, o Toyotismo foi a mudança no modelo produtivo, que até então predominava, o fordismo.

O fordismo já vinha sendo contestado após crises de superprodução e por diversos movimentos de contracultura, como o movimento hippie, que questionavam a padronização do costumes e do consumo.

Assim, o Toyotismo surge com características contrárias ao fordismo. A produção de bens, portanto, vai ser personalizada, a gosto do cliente. Hoje você tem a possibilidade de querer montar sua própria camisa, por exemplo, criar um desenho e mandar estampar em um tecido. Essa camisa vai ser única, apenas você terá. Para isso, a fabricação é conforme a demanda (just-in-time), já que nem todo tem os mesmos gostos, certo? Esse processo acaba, então, não produzindo muitas mercadorias de uma vez só, o que torna os estoques mínimos.

Já que os bens não serão mais padronizados e agora também há máquinas realizando trabalhos que o ser humano ocupava, a mão de obra precisa ser qualificada.

Além disso, a produção se torna descentralizada, possibilitando que cada parte do produto seja produzido em um lugar, barateando os custos.

Quer saber mais? Venha fazer parte do time de aprovados do ProEnem. Assista esse vídeo e vejam um exemplo de produção toyotista:

Comercial Novo Fiat Uno – Exemplo de produção Toyotista

Mais coisas para estudar para o ENEM