Globalização

Vamos falar sobre a globalização para o ENEM?

E aí, pessoal! Todo mundo sabe que globalização é um assunto muito falado tanto nas aulas de geografia quanto em nosso cotidiano e bastante cobrado no ENEM, não é mesmo? Mas afinal, o que é globalização? A definição mais precisa pode ser a de que globalização é o fenômeno de expansão da atual fase do capitalismo.

Atual? Então existem fases anteriores?! Há, sim, vamos ver.

1º Fase do capitalismo – comercial mercantilista

Esta fase corresponde ao período de transição entre o mercantilismo e o capitalismo. Ela está associada à época do colonialismo das Américas e, por consequência, ao período de expansão marítima.

2º Fase do capitalismo – industrial liberal

Com a Primeira Revolução Industrial, os modos de produção mudaram completamente. Dessa forma, o sistema econômico também enfrentou mudanças. Assim, a fase industrial liberal corresponde ao início da industrialização.

3º Fase do capitalismo – financeiro monopolista

Esta fase ocorre a partir da quebra da bolsa de Nova Iorque em 1929. Percebemos nessa época que há, de fato, um mercado financeiro já bem consolidado e que está interligado com algumas áreas do globo.

4º Fase do capitalismo – globalização

Como dito, é a atual fase de expansão do capitalismo: a globalização acontece simultaneamente à Terceira Revolução Industrial.

O que é a Globalização?

Bom, a globalização representa então o aumento das interações pelo globo. O cantor e compositor Gilberto Gil, em sua música Parabolicamará, começa a letra com a seguinte frase “antes mundo era pequeno porque Terra era grande hoje muito é muito grande porque Terra é pequena (…)”. Ele ressalta essa transformação que a globalização proporcionou.

Antes, nós éramos mais limitados ao local em que estávamos, as notícias distantes demoravam a chegar ou nem chegavam, o deslocamento era mais precário e demorado. Esses fatos provocavam uma percepção de que os lugares e os acontecimentos estavam mais distantes. Contudo, com o advento da globalização, as distâncias foram encurtando, rapidamente nos locomovemos pelo país, por exemplo, rapidamente estamos conectados com as notícias de lugares distantes. A globalização, portanto, aumentou os fluxos, tanto de informação, quanto de circulação.

A globalização pode ser vista de três formas, de acordo com Milton Santos, como fábula, como perversidade e por uma outra globalização.

Saiba mais sobre Globalização

O mundo, de fato, está mais integrado e esta integração promove uma expansão do consumo, das relações, das circulações. Diariamente somos “bombardeados” com publicidades estimulando o consumo. Entretanto, nem toda a população mundial tem poder de compra de acordo com tudo que nos “convencem” de comprarmos, por mais que os deslocamentos tenham aumentado, nem todos conseguem se deslocar no espaço devido ao custo de passagens. Assim, temos a globalização como fábula, em que nos é vendida uma imagem de um fenômeno visto como progresso, como se a globalização representasse o paraíso dos unicórnios e arco-íris e nela o mundo fosse um só para todos.

Mas, na prática, não vemos isso. A globalização é seletiva e tem níveis de alcances diferentes. A intensidade dos fluxos de informação que chegam no Sudão é diferente da intensidade que a Escócia recebe. Essa diferença se dá por diversos fatores, entre eles, o principal – o aparato tecnológico que permite a circulação do sistema de informação. Por isso, o fenômeno atual de globalização é paralelo ao desenvolvimento do setor informacional (aquele da Terceira R.I… Tá lembrado, né?). Para além, vendem-nos a ideia de que o mundo agora é um só, porém, o que mais vemos hoje em dia é um debate sobre construções de muros, de seletividade nos fluxos populacionais, ou seja, de medidas protecionistas. Assim, enxergamos a globalização como perversidade.

Desse modo, o fenômeno da globalização proporciona a exclusão de parcela da população. Por esse motivo, é necessário refletir sobre uma outra globalização, que seja mais inclusiva, que não acentue as disparidades e que, de fato, integre pessoas e espaços.

Esse assunto é muito próximo do nosso cotidiano, e como falei antes, muito cobrado pelo ENEM, então se liga nas questões sobre globalização, que são diversas e bem atuais.

Mais coisas para estudar para o ENEM