Biomas Brasileiros

O Brasil é formado por seis biomas que possuem uma das maiores biodiversidades do planeta. Vamos aprender um pouco mais sobre eles?

Fala aí, pessoal! Muito provavelmente você já se perguntou o porquê de, em geografia, estudamos os biomas, afinal, esse assunto parece muito mais algo da biologia né?! Mas então, como a gente já falou em outro artigo, a geografia estuda o espaço e a interação da sociedade com natureza. Lembrou?! E é por isso que estudamos os biomas e como eles estão distribuídos pela Terra. Vamos lá!

Bom, mas o que é um bioma? Bioma é uma unidade espacial definida pelas condições fisiográficas daquele espaço, ou seja, as condições físicas, como o clima, o relevo, o solo… É muito importante vocês terem em mente, sobretudo, que é o clima que condiciona o tipo de vegetação e não o contrário!

Os biomas brasileiros estão distribuídos em nosso território da seguinte forma:

Mapa dos Biomas Brasileiros

Pampa

Pampa ou campos sulinos é o primeiro bioma brasileiro que vamos entender hoje.

Localizado no sul da região sul os pampas não se limitam apenas ao território brasileiro, ele também se encontra em parte da Argentina e no Uruguai.

Esse bioma brasileiro está sob efeito do clima subtropical, que é um clima mais ameno e úmido. O tipo de vegetação predominante é a herbácea (aquelas graminhas, rasteiras).

Por ter essa vegetação predominante em um lugar bem plano, favorece, então, a criação de gado, pois gado que é criado em área de encosta, morro e afins fica com a carne dura e nada agradável pra quem gosta de um churrasco, não é mesmo?! Imagina que você suba muitas escadas diariamente, a tendência é que fique com as pernas mais definas, com mais músculos, a mesma coisa acontece com o gado, assim, a preferência quando o gado é criado em pasto, é que este pasto seja plano.

Contudo, a criação excessiva de gado vem devastando este bioma. Imagine só, sabe aquele lugar que é gramado e que passa muita gente por cima dele?! Reparem ou lembrem que, normalmente esse lugar de tanto pisarem vai deixando de crescer grama.

Isso ocorre devido à compactação do solo, de tanto passarem por esse lugar, com o peso das pessoas, vai deixando de nascer grama. A mesma coisa acontece nos pampas, onde uma grande quantidade de gado pastando vem compactando o solo e desertificando o mesmo.

5 tópicos mais importantes de geografia para o ENEM

Mata Atlântica

A mata atlântica está distribuída ao longo do litoral brasileiro e é expressiva na região sul. Inserida em um clima tropical muito condicionado pelo mar, ela apresenta características de adaptação a um ambiente quente e úmido. Sendo assim, o bioma brasileiro da mata atlântica é muito heterogêneo, com uma vegetação arbórea (árvores de grande porte) e latifoliada (de grandes folhas).

Mata Atlântica – Vista Chinesa – RJ
Exemplo de folha latifoliada.

Por estar distribuída majoritariamente no litoral do país, a vegetação de mata atlântica foi o primeiro bioma brasileiro a começar a ser devastado, primeiro pela exploração do pau brasil, depois pela própria ocupação humana. Hoje, encontramos em nosso litoral os maiores centros urbanos nacionais e esse adensamento populacional provocou um grande desmatamento. Por causa disso, ela é considerada um hot-spot, um bioma que já teve mais de 70% devastado. Dá uma olhadinha nesse mapa, que mostra a distribuição original e a atual:

A mata de araucária, que é um pinheiro, típico de lugares de clima temperado, está inserida no bioma da mata atlântica. Encontrada, principalmente, nas serras gaúchas, a mata de araucária representa o resquício de um passado em que a Terra se resfriava. Assim, a vegetação de araucária é fruto de um paleoclima, ou seja, um clima do passado, mas cuja vegetação ainda se mantém atualmente. Dê só uma olhada aqui também em sua distribuição e em como ela é:

Cerrado

O bioma brasileiro do cerrado é encontrado em um clima tropical com um longo período de seca. Então, como a gente já sabe, essa vegetação do cerrado vai precisar ser adaptada a um ambiente quente e seco. Sendo assim, encontramos os três tipos de estratos no cerrado, o arbóreo, que já falamos aqui, são aquelas árvores de grande porte, arbustivos (árvores de médio porte) e herbáceo (rasteira), ou seja, o cerrado é bastante heterogêneo. A vegetação, então, tem como características os galhos tortuosos e folhas grossas.

Por estar concentrado no centro-oeste, o cerrado sofreu um grande impacto quando a fronteira agrícola expandiu do sul para o centro-oeste, desmatando grande parte da vegetação original para criação de gado e posteriormente plantação de soja. Hoje, quando olhamos para determinadas áreas do cerrado não vemos mais sua vegetação original e sim grandes campos de soja. Olha quanta coisa foi cortada do cerrado:

Área de distribuição original do cerrado e os principais remanescentes da vegetação nativa.

Caatinga

O bioma brasileiro da caatinga tem esse nome de origem tupi (ka’a [mata] + tinga [branca]) significando mata branca. Os próprios índios já denominavam de mata branca, por ser uma vegetação muito seca (xerófita, adaptada a clima árido) e ela possui essa característica por estar inserida no clima semiárido nordestino.

A vegetação para se adaptar, então, a escassez de água tem formato de espinho (aciculifoliada, que evita perder umidade para a atmosfera, devido a menor superfície) e com raízes profundas por conta da busca por água. Como o ambiente é muito seco, a vegetação não consegue se desenvolver muito e predomina, portanto, o tipo herbácea e arbustiva.

Amazônia

O bioma brasileiro da Amazônia é muito semelhante a mata atlântica, pois os dois são florestas tropicais. Ou seja, possui árvores de grande porte (arbórea), bem densas, “fechando” o topo das árvores, que praticamente não vemos o chão, chamamos isso de vegetação ombrófila, e com largas folhas, por estar em um ambiente muito úmido (as latifoliadas, lembram?).

Exemplo de vegetação ombrófila.

Contudo, a Amazônia tem especificidades. Ela é, basicamente, dividida em três áreas, a mata de igapó ou caiapó, que são próximas aos rios e estão constantemente alagadas (encontramos então uma vegetação hidrófila, como a vitória régia), a mata de várzea, que é na margem dos rios e nos períodos de cheia fica inundada e, por fim, a mata de terra firme, onde não é alagada e encontramos a vegetação de grande porte em maioria.

Pantanal

O pantanal é um bioma exclusivamente brasileiro. Trata-se de uma área de grande tensão ecológica, por estar na transição entre o cerrado, floresta amazônica e da vegetação semiárida do Chaco na Bolívia. Logo, entendemos que ele é muito heterogêneo e biodiverso. O pantanal é considerado a maior planície de inundação do mundo, dividido em áreas permanentes alagadas, periodicamente e as não alagadas.

A mesma expansão da fronteira agrícola, de que já falamos aqui, ocorrida no centro-oeste e desmatou o cerrado, também afeta o pantanal.

Mais coisas para estudar para o ENEM