Fique Ligado – “Onde/aonde já se viu”: você sabe quando usar cada um?

ProEnem 31 de maio de 2017
Fique ligado! Sem comentários

Nunca um advérbio gerou tanta dúvida nos falantes da língua portuguesa. Sim, porque a confusão é simplesmente epidêmica, praticamente contagiante. Como é bastante difícil entender os motivos que levam as pessoas a trocar esses advérbios, só nos resta tentar compreender quando usar onde e quando usar aonde.


Vejamos a canção Aonde quer que eu vá dos Paralamas do Sucesso. O lead singer, guitarrista e compositor Herbert Vianna canta os seguintes versos no famoso refrão:

Aonde quer que eu
Levo você no olhar
Aonde quer que eu
Aonde quer que eu

A ação que o eu lírico interpretado pela voz inconfundível do cantor expressa é determinada pelo verbo IR, sublinhado em sua forma conjugada . Se levarmos em consideração que esse verbo rege a preposição a (quem vai vai A algum lugar), podemos entender que o advérbio onde se transforma em aonde porque a preposição a é justaposta a ele. Então:

A + ONDE = AONDE (contr. da prep. a ‘direção’ + onde)

O que muda é circunstância em que o advérbio está sendo empregado. Se ele estiver sendo usado claramente para indicar um lugar para o qual se vai, envolvendo movimento, então a forma a ser usada é AONDE.

Aonde você vai depois do almoço?”

Ao Centro, por quê?”

“Pode trazer para mim uma encomenda?”
Ou seja:

Onde: expressa ideia de lugar fixo.
Aonde: expressa ideia de destino ou movimento.

Precisamos ter cuidado para não trazer para o registro escrito traços de informalidade como o uso indevido do advérbio aonde. Em uma coluna futura, falaremos sobre o uso das palavras onde e aonde com valor anafórico e chamaremos sua atenção para a necessidade de não se apoiar abusivamente nela em situações “nas quais” (“onde”, rssss) é comum (mas não correto) usar essa palavra com o valor de pronome relativo.
Resumindo, ONDE é usada com verbos que indicam permanência:
Não sei onde moro.
Estou na rua onde fica a escola.
Onde você guardou o chocolate?
Já o advérbio AONDE não deverá ser utilizado quando a ideia for de lugar, de localização, mas quando expressar a ideia de movimento. Ir, chegar, dirigir etc. são exemplos de verbos que pedem o uso de AONDE.

ATENÇÃO!

O que determina se usaremos ONDE ou AONDE é o verbo a que um ou outro advérbio se referir.

Um exemplo do uso errado do advérbio aonde pode ser encontrado em alguns versos da música Onde você mora, do grupo Cidade Negra. É um traço claro de informalidade. Vejamos os versos:

Cê vai chegar em casa
Eu quero abrir a porta
(1) Aonde você mora?
(2) Aonde você foi morar?
(3) Aonde foi?

Não quero estar de fora
(4) Aonde está você?
Eu tive que ir embora
Mesmo querendo ficar
Agora eu sei

Eu sei que eu fui embora
Agora eu quero você
De volta pra mim

Nos casos (1) e (4), o advérbio mais adequado a utilizar seria ONDE, por causa dos verbos estáticos a que as duas ocorrências se referem (morar e estar). Já em (2) e (3), o uso foi mais formal , por causa do verbo ir, com a ressalva de que em (2) o advérbio se refere a ir (dinâmico) mas está também semanticamente ligado a morar (estático).

No entanto, não poderíamos, jamais, afirmar que Toni Garrido tenha se equivocado em sua canção, porque ela é uma obra de cunho informal — lembrem-se sempre disso. Portanto, em linguagem no padrão formal, usem o critério que acabamos de expor, mas, no dia a dia, entendam que a informalidade permite determinados excessos e desvios.

ProEnem

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *